Segunda-feira, 14 de Agosto de 2006

Crescidos mas nem tanto...

            Quantos de vocês, já ouvir dizer: “Isto no meu tempo não era assim”, “estes miúdos de hoje em dia, sabemos mais do que eu no meu tempo”? Eu já ouvi algumas vezes e até vejo que é verdade, porque tenho dois sobrinhos que são tudo para mim. Um tem 13 anos e sabe mais do que eu, quando tinha a idade dele (e quando falo em mais, é no sentido como se portam, como tentam ser, querem sair para festas e até no plano sexual), tenho outro que tem 6 anos e que sabe mais do que o seu irmão quando tinha a sua idade. Bolas que confusão!!! Mas, na verdade cada vez mais os hábitos tendem a modificar-se e vão-se perdendo coisas boas na vida que as crianças devem viver.
            Lá vai o tempo em que nós acreditávamos no Pai Natal, que podíamos viver uma história de príncipes e princesas e que o final de qualquer história seria: “E viveram felizes para sempre”. Hoje é mais guerras e discussões e até a própria luta livre que passa nos canais da Tv Cabo, em que vejo crianças que deliram com aquilo. Não sei como, nem porquê e compreendo ainda menos os pais que permitem estes hábitos, menos “saudáveis”.
 
            Com tudo isto, comecei a pensar que seria normal isto acontecer, pois há cada vez mais necessidade de se afirmar um adulto, eu também com 15 anos já gostava de ser tratado como tal, mas nunca quis ter atitudes como os adultos. Basta ir a uma escola e ver jovens a fumar, alguns a consumirem estupefacientes, cenas mais íntimas com o seu parceiro, entre um outro grande número de coisas. Coisas estas que são de práticas, embora algumas não aceitáveis, vindas dos adultos. Podemos dizer que a tecnologia que foi evoluindo a tal ponto que criaram os pequenos adultos e dificilmente deixaram se portar como tal, daqui para a frente!
 
            Há tempos, em conversa, com uma amiga ela contou-me que o seu sobrinho tinha medo de matar uma centopeia, porque depois, à noite, ela viria ao seu encontro e lhe arrancaria as pestanas. Por outro lado o meu sobrinho, vai todos os fins-de-semana para a casa do pai, porque tem lá um espaço transformado em discoteca e como tem, simplesmente, 13 anos não pode entrar em nenhuma, usando esse espaço para se tornar mais adulto.
 
            Roupas mais adultas, comportamentos de adultos, tentam ter conversas de “gente grande”, perdem muitas e boas coisas da infância para se parecerem connosco quando na verdade o mundo das crianças é o melhor! Mas com comportamentos como estes, serão crescidos, mas nem tanto!
RM
Sinto-me: Beeeeeeem!!!
Criticalhado por RM às 00:01
Link da Crítica | Critica | Escarrapacha aos favoritos
|
27 comentários:
De ImSo a 14 de Agosto de 2006 às 13:08
Lembro-me (é verdade, ainda me lembro!!!) quando era miudo o quanto desejava ser adulto e o quão contente ficava quando me faziam sentir como um deles! Por isso acho normal e saudável que as crianças de hoje tenham o mesmo desejo! Não concordo é que hoje elas saibam mais. Os tempos mudam, as coisas evoluem e as crianças de agora sabem tanto como as de antigamente, só que de outras coisas!
Claro que sexo já havia antigamente mas, infelizmente, era assunto tabu para os adultos e era encarado como pecado pelo que o que mudou não foram as crianças mas sim os adultos que passaram a encarar o tema como deve ser. Com naturalidade.
Mas claro que isto é apenas o que eu penso e muitas vezes ainda penso como uma criança!!

Cumprimentos
De RM a 14 de Agosto de 2006 às 15:49
ImSo Não sei bem se form só os adultos que começaram a ver as coisas de uma forma mais normal. As próprias crianças de hoje têm comportamento completamente diferentes de nós há uns anos atrás! (Bolas, pareço um velho a falar e olha que só tenho 21 anos e nota-se completamente a diferença de uns 10 anos atrás para as crianças com a mesma idade que eu tinha na altura deles).
É deveras esquisito tentar explicar, mas vivo com os meus dois sobrinhos e descubro sempre coisas diferentes no modo como eles falam, agem, etc
Às vezes gostava que eles soubessem o que era ter e sentir a magia do que é ser criança, serem adultos à força não os leva a lugar nenum!!! Acho que é por isso que cada vez mais os adultos (alguns) têm uma mentalidade inferior à que na verdade deviam ter!!!
De Zalinha a 14 de Agosto de 2006 às 14:30
Isso é um facto,mas tb não serão os pais,involuntáriamente,que "obrigam" de certa forma a essa vontade de sêr adulto?Pois veja-mos se cada vez mais os miudos passam mais tempo sozinhos,com todo o tempo do mundo para fazerem o que bem entenderem,é obvio que eles se vão sentir "independentes" porque apesar(em alguns casos) de serem bem pequenitos,já têm que passar horas e dias sozinhos,inclusivamente,tomarem sizinhos as refeições,isso entre outras coisas faz com que crescam demasiado rápido.
De RM a 14 de Agosto de 2006 às 16:02
Zalinha concordo contigo até certo ponto. Eu tive a sorte de ter uma mãe ausente, embora o pai tenha sido mais ausente, porque trabalhava!!! Pelo que nunca tive que me tornar 100% independente, se bem que já pensei no caso mas gosto de viver com a minha mãe, ajudamo-nos um ao outro, pelo menos por enquanto estou bem assim!!!
Por outro lado as pessoas sentiram necessidade de se afirmar no mundo do trabalho, deixando muitas vezes as crianças com os avós, em escolas, etc esquecendo-se que também precisam de atenção!!!
De Ana Rita a 14 de Agosto de 2006 às 16:50
Olá RM!Estou de volta depois uma ausência para férias merecidas..ai ai..o "dolce fare niente" como sabe bem!Mas sabe bem também o regresso..alguém dizia que "o melhor das viagens é o regresso a casa"..e olha eu assino por baixo!eheheh...comentando o teu artigo que acho muito interessante, é verdade sim, os miudos e principalmente as miudas querem parecer ter mais idade e não é que parecem mesmo..e perdem os melhores anos das vidas deles que se soubessem como são unicos, ganhavam juizo. Mas olha lindo, mais grave so que isto para mim, são os valores que se vão perdendo de geração em geração..a fidelidade, a lealdade, a verdade, o respeito pelo próximo, tudo isto parece que perdeu a sua importãncia quando são valores fundamentais para se viver em harmonia e em sociedade...isto sim choca-me muito mais e não sou católica, apenas fui educada para respeitar os outros de uma forma geral. cabe-nos a nós, pais e futuros pais educar os nossos filhos de outra forma, eu já estou a fazer a minha parte.. Um beijinho enorme...como é bom estar de volta!
De RM a 15 de Agosto de 2006 às 17:55
Ai pois é, férias!!! Vida boa!!! HIHI
Pois tens razões na parte dos valores que esta juventude está a perder, o respeito pelos outros é um deles, pode ser que um dia se apercebam do que quão mal andam a fazer!!!
De Rita a 14 de Agosto de 2006 às 21:42
Ora bem, eu não percebo nada de putos, logo, tudo o que disser pode soar a lugar-comum e admito-o. De facto, saudosismo a esta malta que acaba de dobrar os 30, e não só, é o que não falta. Se temos saudades das nossas infâncias, com tudo o que acarretavam desde os desenhos animados (ai, os Marretas) até aos valores que os nossos educadores e as nossas experiências de vida nos ensinaram, é porque fomos bem educados. Sentimo-nos integrados ou, pelo menos, estamos felizes com quem somos. Daí achar que, hoje em dia, o papel de educador (pais, avós, tios, padrinhos) se torna bem mais difícil. É necessário que se adaptem a esta nova realidade, é preciso não ir contra a personalidade da criança nem contra o que ela acredita, mas de acordo com os seus valores, fazer dela o melhor ser humano possível. É preciso dar responsabilidades às crianças, acima de tudo. Elas são frágeis, precisam que as protejamos, mas também podem ser muito fortes. Não se pode pensar que, por os valores de hoje em dia serem diferentes dos de outrora, elas estão erradas. O complicado é educar os educadores. Responsabilizá-las pelos seus actos, fazê-las olhar para o mundo à sua volta. Não há programa de luta livre nem erotismo que abalem as estruturas de uma criança (atenção às generalizações, Rita, são sempre perigosas) que sabe quais são as suas responsabilidades no seu mundo e que o seu mundo está, forçosamente, ligado a outros. Não sei se me fiz entender.
Acho que me desviei completamente do assunto.
De RM a 15 de Agosto de 2006 às 18:00
Bem Rita grande comentário LOL
Acho que não te desviaste do tema! HIIHI
Disseste o que achavas certo, pelo teu ponto de vista e é verdade!
Mas lidar com crianças é muito complicado, principalmente quando eles estão na idade complicada!!! Santa paciência que temos que ter!!! LOL
De xicoxperto a 15 de Agosto de 2006 às 19:16
O mundo à nossa volta muda e nós, inevitavelmente, mudamos com ele. Por isso é natural que os "putos" de hoje tenham mais conhecimentos do que há quarenta anos. hoje assistimos à guerra em directo, ao sexo em directo e a tudo o que se passa no Mundo, sem qualquer filtro a não ser aquele que alguns pais ainda conseguem colocar entre os média e os filhos mas nem todos estão em casa e muitos estão mas é como se estivessem ausentes. Parece-me que todos nós passámos pela fase em que queríamos ser adultos ou que pensávamos ser adultos mas sem as consequências que hoje em dia se atribuem ao crescimento. As diferenças estão na oferta que a sociedade de hoje apresenta em relação aos nossos tempos. Dantes era vulgar um adolescente acabar por ser arrastado para o mundo do álcool: hoje têm ao seu dispor uma quantidade assustadora de drogas e se continuam a "cair". Serão assim tão "adultos"? Acho que não. acho que é a experiência que nos faz adultos e não a quantidade de informação que temos. Vê-se até pelos adultos que cada vez parecem ter mais comportamentos aberrantes, apesar de tudo o que têm ao seu dispor. Não estaremos todos a ficar mais infantis? Eu, que até já tenho idade para ter "juízo", estou para aqui a brincar com um computador.
De RM a 17 de Agosto de 2006 às 14:27
xixoxperto concordo contigo! lol O facto de cada vez, mais adultos terem comportamentos, um tanto ou quanto, infantis tem mesmo a haver com isso, em parte dado que querem crescer à força deixando para trás coisas que são essenciais, logo vão "reviver" esses momentos que não passaam quando forem mais velhos!!!
De MB a 15 de Agosto de 2006 às 20:15
Mudam-se os tempos, mudam-se as mentalidades. Concordo contigo em certa parte, até porque hoje em dia as crianças têm que aprender a se desembaraçar sozinhas, daí se sentirem mais adultas e mais independentes. Tenho em casa o gajo das pestanas com 15 anos de idade e, ele é um exemplo deste teu post em pleno. Isto porque ele dá respostas e comporta-se de tal forma que eu e os meus irmãos nunca nos passou pela cabeça. Ainda outro dia, foi andar de "bike" (putos bahhh) e a mãe dele disse para não vir tarde demais, isto já eram umas 21h e 30m e ele chegou a casa por volta da 01h da manhã. Primeiro o erro está na mãe que não teve mão forte e não disse que àquela hora ele já não saia de casa e, depois ele não tinha que lhe responder da maneira tão brusca como fez, pois quase que levantou a mão para lhe bater, por ela o repreender. Ele por um lado é ingénuo demais ao ponto de não matar uma centopeia porque à noite ela virá arrancar-lhe as pestanas mas, por outro quer-se afirmar como adulto tendo estes e outros comportamentos, nomeadamente comparar-se ao irmão. Ele pode, ele vai, ele tem, ele fez… Enfim “n” de coisas, afinal tu sabes como são os meus sobrinhos. Digo sempre que nunca irei deixar que os meus filhos me falem assim, e que nunca saíram de casa às tantas da noite mas, este assunto é um pouco delicado, pois estes comportamentos desta juventude depende de vários factores e nunca se sabe o que nos irá acontecer, por isso limito-me a não cuspir para o ar. Poderia ficar aqui a dizer mil e uma coisas mas, como já disse há pouco este assunto tem muitas pontas por onde pegar. Logo vou trabalhar que estou quaseeeeeeeeee!!!

Excelente assunto!
De ciloca a 26 de Agosto de 2006 às 23:33
Adorei o tema e concordo com quase tudo o que disseram os meus amigos. bjs
De Princesa a 17 de Agosto de 2006 às 09:42
Pois é.
Eu quando tinha 12 anos, queria ter 18; quando cheguei aos 18, sonhava com os 22...hoje passei a barra dos 30 e acho que os 40 é a mais bela idade de uma mulher...mas sei que quando chegar aos 40 vou chorar sobre os meus 20...
Fazer o quê? deveríamos nascer com um "manual do utilizador"? nãaa....
Lógico que os tempos mudaram, Internet, telemóveis, 60 canais TV, X-Box, família mono-parental, etc e por aí fora...
Mas na essencia uma criança é sempre uma criança.
Ha que cuidar, ha que orientar, ha que enquadrar.

Beijinhos RM e Magg!

Princesa
De RM a 17 de Agosto de 2006 às 14:28
Pois, não sei se tens filhos ou não, mas quando chegam aos 12 anos, já querem sair para as discotecas, vestem-se de forma mais adulta e essas coisas, quando na verdade ainda podem aproveitar a sua infância, h+a tempo para tudo, para quê viver a correr!!!??
De ciloca a 26 de Agosto de 2006 às 23:35
muito bem princesa.
De micas a 18 de Agosto de 2006 às 11:15
OHHHH a princesa revelou!!!!!
RM i Magg!!!!
oaaaaahhhhhhh
sera que e de MB??????
hihihihihihihi
na perco 1a!!!! hehehehehhehe
De RM a 18 de Agosto de 2006 às 12:26
???????????????
De MB a 18 de Agosto de 2006 às 17:36
Oh my god! Hein?????
De Ana S a 19 de Agosto de 2006 às 22:39
É verdade...as crianças querem tornar-se adultos porque não sabem que crescer é bem mais dificil do que parece. Depois são essas que desejam voltar a ser criança! :)
De MissDevil a 19 de Agosto de 2006 às 23:45
como a vida pode ser complicada, ou nós e k a fazemos complicada, qd somos crianças keremos ser tratados como adultos em adultos temos saudades do tempo em k eramos crianças.
nos dias k correm cada vez mais as crianças e jovens tornam-se em "adultos" mais depressa n aproveitando por vezes a magia de ser criança...

Criticalhar post

Contacta-nos


Image Hosted by ImageShack.us
criticalhando@sapo.pt

Horas

Críticas no Prazo de Validade

Certo ou Errado?

"Eles" andam aí....

Direito à Liberdade...

E esta Heim???

Até já...

Um dia para esquecer...

Inteligência medida aos p...

Afinal Como "O" Pronuncia...

Crescidos mas nem tanto.....

E vocês... Lêem?

Críticas Fora de Prazo

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Visitas