Quarta-feira, 18 de Outubro de 2006

Direito à Liberdade...

«Eutanásia: do Gr. euthanasía < eu, bem + thánatos, morte s. f.,
procedimento que antecipa a morte de um doente incurável, para lhe evitar o prolongamento do sofrimento e da dor;
morte sem dor;
doutrina que defende tal procedimento.»
 
            Através de uma pesquisa simples, num dicionário, sobre eutanásia, podemos concluir que esta é o acto de antecipar o que é inevitável, fazendo com que o portador desta doença acabe com o sofrimento.
            No meu ponto de vista, e notem bem, que é simplesmente a minha opinião sou contra estes actos, se bem que por outro lado, ache que devesse ser uma opinião própria! É complicado, porque nós nunca passamos por uma situação destas para sabermos o que é desejar a morte!
Este post, vem na sequência de uma reportagem que passou na televisão, há uns dias atrás, infelizmente não vi, mas achei um bom tema para termos aqui um “fórum” onde podemos discutir as nossas ideias!
            Acredito que as pessoas que estão presas a uma cama, sofrendo, amargurados com a vida e tendo uma doença incurável que os vai destruindo, possam querer esta “saída” porque não a considero como solução, dado que todos nascemos para viver e faz parte do processo da vida viver até que a morte seja causa natural ou não (entenda-se por causa não natural, acidentes de viação, uma queda por um precipício, afogamento, aquelas causa que ninguém espera que aconteçam, mas que na verdade não são provocadas).
            Agora tentar estar na posição de um familiar, seria totalmente “desumano”, eu dar o meu consentimento e dizer que sim, que podiam aplicar a injecção letal a uma pessoa de quem gosto, seria uma morte que em grande parte eu seria o causador. E, (in)felizmente, preferia ter a pessoa todos os dias que eu pudesse vê-la (garanto que sei o que falo), se bem que por outro lado também seria complicado vermos o sofrimento de quem gostamos.
 
            Sinceramente é uma contradição enorme. O dilema da eutanásia, sempre existiu e irá continuar, porque esta é a parte mais sensível que existe em nós!!
 
            E vocês o que achas? O que fariam numa situação destas?
            E os médicos que defendem esta doutina e praticam-a? Como se sentirão? Vão contra a ética que aprenderam com a Medicina: “Art. 6°. - O médico deve guardar absoluto respeito pela vida humana, actuando sempre em benefício do paciente. Jamais utilizará seus conhecimentos para gerar sofrimento físico ou moral, para o extermínio do ser humano, ou para permitir e acobertar tentativa contra sua dignidade e integridade” (Código de Ética Médica), em parte estão a ir contra a sua ética. Que lhes acontecerá se um dia praticarem a eutanásia? Na verdade estão a matar uma pessoa, não é?
 
            E ... morte sem sofrimento? Como sabem? Ainda levam alguns minutos a percorrer a corrente sanguínea, deve existir sofrimento!
 
            Deixo-vos com uma frase de uma pessoa que hoje, sofre e procura a saída na eutanásia: “O que é para vocês a liberdade? Para mim isto não é liberdade. Estar deitado numa cama a sofrer não é, para mim a liberdade”
            São as palavras de quem sente, do desespero, da ânsia de acabar com a luta pela vida...
...e tudo acaba assim, sem sentido, será normal?
R.M
Sinto-me: Sem Palavras...
Criticalhado por RM às 00:01
Link da Crítica | Critica | Escarrapacha aos favoritos
|
17 comentários:
De RM a 19 de Outubro de 2006 às 11:15
Aalvafaust como eu sou mauzinho e quero promover o debate, através do teu comentário, achei um caminho que já surge um pequeno debate!!!

Se é um custo "prolongar" a vida destes doentes, porque é que todos os anos são gastos milhares em investigações para a cura de doenças, tais como HIV e CANCRO??? Não vou morrer na mesma???
Porque é que se tenta modificar os hábitos alimentares das pessoas, porque a obesidade já é um flagelo e está a tomar conta do nosso país bem como do mundo??? Simplesmente vão ter mais risco de AVC's, Cancros, Ataques Cardiacos, no entanto gastamos dinheiro em prevenção e publicidade para alertar as pessoas dos malefícios, no entanto este grupo de pessoas também vai morrer!!!

Ao fim ao cabo, gastamos tanto dinheiro em pessoas que estão doentes e que vão morrer!!! No entanto à muitos anos atrás inventou-se a vacina da gripe, inventou-se medicamentos que nos permitem combater as doenças, abrandar o estado de outros e com isto também se gastou e ainda se gasta dinheiro (no melhoramento de cada um deles), se não fossem eles, não tinhamos como combater a nossa falha no sistema imunitário!!

Será que estes doentes em fase terminal também não valem um pequeno custo relativo a tudo isto que falei e que ainda podia continuar a falar????

[Aalvafaust não em leves a mal, não estou a discutir contigo no sentido de dizer que eu tenho razão e que não devias ter dito o que disseste, simplesmente queria pôr esta gente a dar opinião sobre os comentários que aqui vamos deixando, acho importante e saudável que se saiba discutir e como já referi, o teu comentário tinha o que eu preciava para iniciar a discução]

Se algumd e nós tivesse uma pessoa que gostamos na mesma situação, não queriamos que lhes fosse prestado e disponibilizados todos os meios a que têm e devem ter?

Eu gostava e lutaria por isso!!!
De ImSo a 19 de Outubro de 2006 às 12:15
Ainda não mudei de nick. Este tem muitos anos e feio ou não, habituei-me a ele, já faz parete de mim e seria muito estranho trocar.
Mas falando do que está, realmente, em discussão. Realmente gasta-se muito dinheiro a tentar descobrir curas para a sida, cancro e outras doenças. A diferença está em que com isso pretende-se dar qualidade ao que restar da vida dessas pessoas e não apenas mantê-las vivas. Acho mutio bem que gastem o que for preciso para descobrir cura para essas doenças, já para manter, nem sei se vivo é o termo certo, alguém que respira com ajuda de máquina, tem o coração a bater com ajuda de máquina e alimenta-se por tubos, não estou muito certo se concordo!
De RM a 19 de Outubro de 2006 às 14:43
ImSo quanto ao nick era um à parte! HIHI
Relativamente à eutanásia, a maior parte das pessoas que estão ligadas às máquinas, a maior parte delas até que estão inconscientes!!!
E aquelas que nem precisam de recorrer ao meio artificial para sobreviverem mas que sofrem na mesma, essas também não precisam de lhes ser proporcionado uma qualidade de vida melhor???
De ImSo a 19 de Outubro de 2006 às 17:28
Nessas que não precisam da máquina...não te estavas a referir a mim pois não??
Tou a brincar! Na verdade acho que todos temos razão e todos podemos estar errados. Por isso a minha opinião não é muito convicta.

Quanto ao nick eu percebi, só tava a ver se respondias "não é feio não, até é um nick muito bonito!!" ehehehehe não ligues!!

Parabéns pelo tema, dáva para ficarmos aqui a "falar" até sermos todos velhinhos (a mim até nem falta muito)!!
De RM a 19 de Outubro de 2006 às 17:41
Aiiii Pois é ImSo mas parece que os nossos amiguinhos não querem muito contribuir à discussão!! Acho que dava um toque diferente ao blog, eu adoro a nova plantaforma por esta causa, poder responder aos comentários uns dos outros!!!

Quanto à convicção das nossas ideias! Eu tenho as minhas e estou convito delas, por mais erradas que sejam, mas é assim que vejo o Mundo, não vejo a necessidade de morrer antecipadamente, sem ainda existe outras formas de dar a volta às coisas!!!
De Alvaro Faustino a 20 de Outubro de 2006 às 20:06
Por isso mesmo digo que se poderia estar a aplicar o dinheiro que se gasta ao prolongar a vida deste tipo de doentes, contra a sua própria vontade, em estudar as causas e as curas para essas doenças. Claro que é necessário dar-lhes o bem estar possível devido à sua situação, mas sendo o desejo da pessoa acabar com o sofrimento, até o médico tem dificuldade em escolher o melhor, pois julgo eu que não sou médico, que o seu trabalho é salvar vidas, mas também, minorar o sofrimento dos doentes. Se o doente escolher morrer, à que ajudá-lo a que morra sem sofrimento. Caso queira viver, à que fazer isso mesmo. Tal como o assunto do aborto, é um tema escaldante, pois mexe com a coisa mais preciosa que temos: a vida. Quanto à tua pergunta respondo desta maneira: quer o doente viva ou morra, nós familiares sofremos de qualquer maneira. Se o doente vive, sofre de dores, desgosto, solidão, enfim, sabe-se lá de quê. Se o doente escolhe morrer, acaba o seu sofrimento. Mas nós familiares sofremos de qualquer das maneiras. Boa ideia para fazer falar as pessoas, esta da eutanásia. Parabéns.

Criticalhar post

Contacta-nos


Image Hosted by ImageShack.us
criticalhando@sapo.pt

Horas

Críticas no Prazo de Validade

Certo ou Errado?

"Eles" andam aí....

Direito à Liberdade...

E esta Heim???

Até já...

Um dia para esquecer...

Inteligência medida aos p...

Afinal Como "O" Pronuncia...

Crescidos mas nem tanto.....

E vocês... Lêem?

Críticas Fora de Prazo

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Visitas