Quarta-feira, 8 de Novembro de 2006

Certo ou Errado?

              Bem entre eu e a minha amiga MB, acho que sempre tive uma crítica mais séria, e ela uma crítica em que tentasse divertir mais as pessoas que a lêem.
            Ora bem, não fugindo à regra do que tenho vindo a fazer, hoje vou falar de um assunto que me está indignando muito, por mexer com relações pessoais.
 
            Até antes de conhecer este caso, eu era um pouco contra estas situações, no entanto, vendo de perto como é que as coisas funcionam o caso muda de figura e agora aceito e até defendo estes casos, pelo menos o do meu amigo. Falo eu de adopção de crianças por uma pessoa homossexual. O meu amigo, de agora em diante designado por Miguel, vive sozinho e sempre desejou ter um filho, poder ensinar-lhe várias coisas, vê-lo crescer e ele próprio aprender porque ser pai é uma experiência fantástica! O Miguel começou a visitar uma instituição onde têm crianças para adopção e numa das suas visitas viu um rapaz, vou chamá-lo de João, com 9 anos do qual gostou muito! Nas suas visitas já ia para estar com o João e começou a criar-se empatia entre ambos, já que os menino que ali estão, mesmo que bem tratados, necessitam sempre de uma atenção extra.
Então o Miguel, mesmo vivendo sozinho, deu entrada ao processo de adopção do João, dado que tinha uma vida estável e acima da média do Português “normal”. Passando por uma fase “experimental” eles estão juntos à quase um ano, enquanto o processo continua.
            Mas como existem pessoas para tudo, fizeram uma acusação à instituição alegando que o Miguel seria “Gay” e só este facto de suspeita atrapalha todo o desenvolvimento do processo. Agora por artes e artimanhas andam a investigar a vida do Miguel para comprovar se é homossexual ou não, como se alguém tivesse escrito na testa as suas opções ou através de uma simples análise de sangue venha lá escrito: Homossexual Positivo, Bissexual Positivo ou Heterossexual Positivo.
 
            Como disse no início, acho, sim porque não tenho a certeza, mas acho que no início era contra este tipo de adopções, mas ao ver o quanto o Miguel e o João se apegaram como pai e filho, o como eles se apoiam um ao outro, ao ver que têm uma relação completamente normal, porque não dar o benefício da dúvida e deixar aquela (e outras crianças na mesma situação) serem felizes com alguém que verdadeiramente tenha amor para lhes dar!!???
 
            E se, por acaso, e infelizmente, os laços de amor criados entre estas duas pessoas for quebrados, como ficaram??? Como ficará o João ao voltar para a instituição? Será que existirá alguém que o queira adoptar mais tarde??? Acho que todos temos que ser realistas e a maior parte das pessoas só quer adoptar bebés com poucos meses de idade!!! Porque vemos essas instituições cheias de crianças já grandes por aí!!! Conclusão, destrói-se uma “família”, o coração de duas pessoas que já estão ligadas uma a outra, só por uma mera suspeita! E fosse verdade ou não, olhamos para os dois e reparamos que só lhes tem feito bem!!!
 
            E a vossa opinião??? Qual é?
RM
Sinto-me:
tags:
Criticalhado por RM às 11:03
Link da Crítica | Critica | Escarrapacha aos favoritos
|
43 comentários:
De soslayo a 10 de Novembro de 2006 às 12:58
RM,

Era como tu! Em princípio não via com bons olhos estas adopções mas, atenção eu também sou fruto desta sociedade preconceituosa e daí ainda ter alguma relutância sobre essas coisas. Como sou pessoa que acompanho sempre a evolução dos tempos vou me certificando que existem outras maneiras de pensar e agir. Não vi o tal programa da MTV e tenho pena por isso, porque goste estar sempre a par como é que o mundo evolui! Sinceramente não pense que seja útil para o rapaz ser devolvido à instituição, porque numa fase adulta poderá virar um marginal excluído do contexto social e vejo-o mais protegido por uma pessoa que no fundo se interessa pelo futuro daquele ser humano que apenas precisa de quem lhe dê a mão e um empurrão para puder singrar na vida. Tenho um sentir comigo que é o seguinte: "tenho muito medo dos puritanos!" Estou de acordo com o Castor! Um abraço.
De RM a 10 de Novembro de 2006 às 14:20
soslayo a evolução nunca fez mal a ninguém, desde que bem medida!!!
É claro que os primeiros casos, por seres quase que únicos, estranhamos!!! Mas já estou pior do que aquele velhinho da Coca-Cola: "primeiro estranha-se, depois entranha-se!!!"
E depois dos primeiros casos se tornarem públicos e acaba por ser algo banal!!!!
A mulher também não trabalhava antes, as primeiras a ccomeçar a trabalhar, foram muito críticadas e alvo de conversa, agora grande parte das mulheres trabalham, têm cargos melhores do que os homens e estão a vencer na vida! Tornou-se um hábito!!!!

Casos como este também têm que se tornar um hábito bom!!! Porque estão imensas crianças à espera que alguém as adopte, para terem amor, carinho, atenção! E existe uma porcaria de uma sociedade que nunca sabe ver o ponto positivo das coisas e deitam os sonhos das crianças e dos futuros pais por água abaixo!!! Quando na verdade grande parte das pessoas que ditam as "regras" são homossexuais ou então matém-se escondidos atrás de uma farsa, chamada casamento, e enganam os seus conjuges e acima de tudo a si próprios, depois têm a liberdade de ter atitudes estúpidas e reveladoras de ignorância como estás de uma pessoa ser livre de adoptar uma criança que precisa de ajuda, de um pai ou de uma mãe, não importa!!! Simplesmente precisa do que no orfanato nunca poderá ter!!!

Criticalhar post

Contacta-nos


Image Hosted by ImageShack.us
criticalhando@sapo.pt

Horas

Críticas no Prazo de Validade

Certo ou Errado?

"Eles" andam aí....

Direito à Liberdade...

E esta Heim???

Até já...

Um dia para esquecer...

Inteligência medida aos p...

Afinal Como "O" Pronuncia...

Crescidos mas nem tanto.....

E vocês... Lêem?

Críticas Fora de Prazo

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Visitas